3º Encontro de Planejamento Pastoral com as Comunidades.

3º Encontro de Planejamento Pastoral com as comunidades: Araçaíba, Queimadas, Pinhalzinho, Mafalda e Roseiras.

Oração inicial feita pela Cristiane de Roseiras e Pe. Renato fez a reflexão do trecho de At 2, 42-47 – Devemos seguir o exemplo das primeiras comunidades que abraçavam a fé, partilhando tudo entre todos e sempre valorizando e vivenciando a união. As Pastorais e as comunidades precisam estar sempre vivas, ativas e participativas, não podem somente “acompanhar” Jesus, ser um católico turista, ou seja, ir de vez em quando na igreja e não ter compromisso com os trabalhos, precisamos “seguir” Jesus, querer ser como Ele, nos comprometermos e dedicarmos aos trabalhos nas Pastorais e ser Criativos no projeto de Evangelização.

O objetivo do Encontro é ouvir a todos para que juntos possamos desenvolver estratégias a serem seguidas e planejadas em todas as Pastorais, unir todas as comunidades para que sejamos “sal da terra e luz do mundo”, assumindo com compromisso e comprometimento nossa missão: “Ide e Evangelizai” tendo como base o documento 109 (2019 – 2023), partindo do ponto que a Família é base da Igreja e base das Pastorais, por isso é preciso resgatar os valores da família.

Os questionamentos partilhados foram:

- Como elaborar um Planejamento Pastoral, seguindo o Plano Diocesano, a partir da nossa realidade?

- Como chegar a todos os corações nos dias atuais?

- Quais os desafios para trabalhar as Pastorais e Movimentos?

- Quais as dificuldades encontradas na Pastoral da Catequese e da Juventude?

- Porque é mais fácil reunir muitos em tempos de festas religiosas, mas para assumir trabalhos nas Pastorais e Comunidades, se torna difícil o compromisso?

- Como podemos aproveitar todo o conteúdo que temos do SINE nas Pastorais?

Houve escolha de casais para compor a Pastoral da família. Resgates das novenas em casas. Para a Catequese é preciso formação sobre o novo material diocesano. Para a juventude também é preciso formação sobre a doutrina da Igreja para despertar neles o interesse e gosto pelos trabalhos na Pastoral, é preciso trabalhar com eles o sentido e valorização da família, diversão sadia, mas que em primeiro lugar está Deus.

Pe. Renato concluiu a reunião: A falta de compromisso e solidariedade atrapalha muito o caminhar das comunidades e das Pastorais. Não podemos colocar barreiras no caminho do desenvolvimento dos Planos Pastorais. Precisamos ter a “consciência” de que nós somos a Igreja, e cada um de nós devemos nos comprometermos em fazer a nossa parte e unidos aos outros seguirmos em nosso caminho de missionariedade que é Levar Jesus a todos. Não podemos apenas ouvir o Evangelho, precisamos tê-lo no coração e vivenciá-lo todos os dias com testemunhos. 

Nós assumimos um compromisso com Jesus, então é preciso ter um norte, uma via, um guia, um caminho para planejar a nível paroquial uma estrutura missionária, pois nossa missão nas Pastorais é ser missionários, levar Jesus a todos e em todos os lugares, tornar Jesus conhecido e Amado.




Categoria:Paróquia

Deixe seu Comentário